“O destino das nações depende daquilo e de como as pessoas se alimentam” (Brillat-Savarin, 1825).

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Lípideos




Olá galera, o assunto de hoje é Lipideos, ou será Lipídios? Bem, ambas as formas estão corretas!! Então vamos lá!

       Necessidade diária de Lipídeos: 20 a 30% do Valor Calórico Total da dieta diária.

      Os lipídios são compostos caracterizados principalmente por serem insolúveis em água.  Essas substâncias possuem alta densidade energética (9 Kcal/g), o que contribui para que ele tenha vantagem sobre os carboidratos no que diz respeito a reserva energética.
   Possuem funções biológicas essenciais: energéticas, estruturais e hormonais. São representados principalmente por triglicerídeos, fosfolipídios e colesterol.  Assim, os triglicerídeos constituem a maneira mais eficiente de armazenar energia, os fosfolipídios representam o principal elemento estrutural das membranas celulares, enquanto o colesterol é precursor de hormônios.

Podem ser classificados em:

       Lipídios Simples – glicerol + ác.graxo – podem ser: mono, di ou triglicerídeos. São os principais lipídios da alimentação. Podem ser saturados ou insaturados.

       Compostos – grande número – fosfolipídio, glicolipídio, lipoproteínas... Possuem funções metabólicas;

       Lipídios derivados – Substâncias derivadas de lipídios simples e compostos: vitaminas lipossolúveis (K,A,D,E), colesterol, hormônios da tireoide, lipoproteínas.

Ácidos graxos



               São constituídos por uma cadeia carbonada com grupamento carboxílico (polar) em uma das extremidades e um grupamento metil na outra extremidade. Podem ser saturados ou insaturados. Essa característica é importante nas análises qualitativas dos lipídeos. Os ácidos graxos saturados geralmente são sólidos e predominam nas gorduras de origem animal, já os ácidos graxos insturados, que podem ser mono ou poliinsaturados geralmente estão na forma líquida (óleos) e são predominantes em lipídeos de origem vegetal, como os óleos de soja, milho, azeite. O óleo de peixe é uma exceção, pois possui ácidos graxos predominantemente poliinsaturados. Os ácidos graxos são o principal constituinte dos triglicerídeos e dos fosfolipídeos.


Reserva Energética: Os triglicerídeos.

São compostos por três moléculas de ácido graxo, unidas por ligação éster a uma molécula de glicerol. Os ácidos graxos possuem geralmente cadeia carbônica longa insaturada ou saturada, e o grupo carboxila constitui a região polar, enquanto a cadeia carbônica é apolar.

Os triglicerídeos (TGA) possuem grandes vantagens de armazenamento energético sobre os carboidratos devido ao seu caráter hidrofóbico, ocupando menor espaço de reserva, ou seja, sem moléculas de água adsorvidas o peso da reserva é menor. Além de ser altamente reduzido, assim sua oxidação libera muito mais energia (produz ATP) por grama do que o glicogênio ou proteínas. Os adipócitos são os locais de reserva do TGA, onde ele também atua como isolante térmico.


Margarinas: processo de hidrogenação

Os óleos vegetais, como o de milho e de oliva são composto principalmente por ácidos graxos insaturados. Eles podem ser convertidos na indústria por meio de hidrogenação catalítica. No processo de hidrogenação, como o próprio nome diz, é adicionado hidrogênio aos óleos vegetais e estes começam a solidificar, dando origem ao que chamamos margarina. Nesse processo ocorre uma alteração estrutural dos ácidos graxos que passam da forma cis para trans, além de converter parte das ligações em ligações simples, o que altera o ponto de fusão da margarina. O grau de saturação influencia na temperatura de fusão, pois em compostos totalmente saturados as moléculas justapõem-se de forma tão apertada, que é necessário maior quantidade de energia para desorganizar os arranjos formados.

Colesterol

É um tipo de lipídeo essencial ao organismo. Cerca de 70% é produzido pelo organismo, e os demais 30% é adquirido pela ingestão de alimentos de origem animal.
       Funções:
       Formação de membranas celulares
       Precursor da vitamina D
      Precursor de hormônios esteróides
       Constituinte da bile
O colesterol é formado por um núcleo esteroide em forma de anel com um radical hidroxila, comportando assim como um álcool. Seu sistema de anéis fusionados lhe fornece uma rigides maior do que outros lipídeos de membrana. Pode ser sintetizado pelo fígado, onde sua estrutura deriva do ácido acético, que é um produto final da degradação de ácidos graxos.
Estrutura do colesterol:


Lipoproteínas

É a unidade funcional de transporte de lipídeos no plasma, uma vez que estes são insolúveis em meio aquoso. As lipoproteínas são partículas esféricas e possuem um núcleo central de lipídios apolares circundados por uma camada de fosfolipídio ou colesterol, têm a função principal de suprir os tecidos com lipídios. Essas proteínas contribuem significativamente para a “solubilização” de lipídios no plasma. Essas lipoproteínas são classificadas quanto à sua densidade:

      LDL – baixa densidade: O famoso colesterol “mau” atua no transporte e suprimento de colesterol e TGA aos tecidos.
      VLDL – muito baixa densidade: possui origem hepática, e transportam TGA e colesterol para os tecidos.
      HDL – alta densidade: O famoso colesterol “bom” tem a função de remover o colesterol dos tecidos para o fígado. É assim conhecido por fazer uma “limpeza” retirando o excesso de colesterol das artérias, evitando possíveis problemas cardiovasculares.
–     QM -  quilomícron: são sintetizados no intestino a partir dos lipídios da dieta, que, deste modo são transportados aos tecidos.

Fonte:  http://biocolesterol.blogspot.com.br/2011/01/transporte-de-lipideos-por.html. Acesso em: 15/05/2012 . 
O quilomícron é extremamente rico em TAG, devido a quantidade ingerida na dieta: 95 % dos lipídios dietéticos são TAGs.

Absorção de lipídios

Os lipídios vindos da dieta irão percorrer um longo caminho até que sejam absorvidos para que possam seguir seu destino: produção de energia ou suprimento dos tecidos para síntese de hormônios, membranas, transporte de vitaminas lipossolúveis entre outros.
    A digestão de lipídios ocorre na presença de lipases lingual e gástricas e pancreáticas   Os lipídeos começam a ser degradados ainda na boca por meio da enzima lípase, e posteriormente no estômago por ação da lípase gástrica. No intestino ocorre a maior parte da degradação dos lipídeos, por ação dos sais biliares, que emulsificam as gorduras, formando miscelas. Essas miscelas são absorvidas pelo enterócito por difusão passiva.
  A molécula de triacilglicerol ou triglicerídeos não é absorvida intacta, por ser grande, assim ela é clivada no carbono 1 e no carbono 3. Os produtos de degradação dos triglicerídeos são 2 ácidos graxos e um monoacilglicerol. Esses produtos são absorvidos pelo enterócito, juntamente com o colesterol e fosfolipídios. Dentro do enterócito, o monoacilglicerol é associado às moléculas de ácidos graxos, formando novamente um triacilglicerol.
 No enterócito há um “empacotamento” dessas gorduras (TGAs, colesterol e fosfolipídios) que são transportadas do enterócito na forma de quilomícrons (QM).
 O QM sai do enterócito e segue para a corrente sanguínea, onde começa a sofrer degradação por meio de uma enzima presente na parede dos vasos sanguíneos: a lipase lipoproteica, ativada pela apoproteína C 2 presente no QM,  liberando assim ácidos graxos livres que vão se ligar à albumina que os transportam para os tecidos que estão demandando ácidos graxos para produção de energia ou síntese de hormônios e membranas.
 O QM remanescente, agora com menor quantidade de ácidos graxos, segue para o fígado, onde é captado, devido a sinalização da apoproteína – está ligada às lipoproteínas – que têm a função de fazer com que os tecidos reconheçam os QM e internalize-os.   
 No fígado, os lipídeos são novamente “empacotados” na forma dos transportadores endógenos: VLDL que posteriormente dá origem ao LDL, ambos são responsáveis por levar essas gorduras do fígado para os tecidos. O HDL faz o transporte reverso, recolhendo o colesterol em excesso dos tecidos e transportando de volta ao fígado.
 O excesso de lipídios do nosso organismo é armazenado nos adipócitos na forma de Triacilgliceróis, a maior reserva energética do nosso corpo.

       Deficiência de lipídeos pode provocar
      Dermatite
      Deficiência do desenvolvimento cerebral em bebês
      Deficiência de vitaminas lipossolúveis
      Emagrecimento

       Excesso: aterosclerose, dislipidemia, obesidade.



Walkyria Paula


Fontes:

      LEHNINGER, Albert L; NELSON, David L.; COX, Michael M. Lehninger princípios de bioquímica. 4. ed. São Paulo: Sarvier, 2006.


MARZZOCO, Anita; TORRES, Bayardo Baptista. Bioquímica básica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 


TIRAPEGUI, Julio. Nutrição: fundamentos e aspectos atuais. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

            www.dbm.ufpb.br/DBM_bioquimica_monitoria.htm  Acesso em : 16/05/2012.




Nenhum comentário:

Postar um comentário